O Cuidado de Enfermagem na atualidade visa a recuperação e o bem-estar do indivíduo, família e comunidade, e está fundamentado em conhecimentos científicos e na autonomia profissional. Com conceitos essenciais para a prática profissional (Enfermagem, ser humano, ambiente e a saúde) são adotadas teorias que divergem os caminhos do cuidado, porém preservando a autenticidade científica do mesmo. (NOBREGA; SILVA, 2009).

 

O Cuidado de Enfermagem é planejado para alcançar as necessidades do indivíduo, sendo também construído para que toda a equipe multiprofissional tenha acesso ao que está sendo proposto para atender o cliente. (CAMPEDELLI et al, 1989 apud NOBREGA; SILVA, 2009). 

 

A Lei nº 7.498/1986 dispõe sobre o Exercício Profissional, permitindo a autonomia para o cuidado, desde o antendimento na consulta de enfermagem até a prescrição do cuidado. (BRASIL, 1986 apud NOBREGA; SILVA, 2009).

 

Compactuando com nosso Código de Ética sabemos que pelo capítulo I, das relações com a pessoa, família e coletividade, é proibido "Art. 26 Negar assistência de Enfermagem em qualquer situação que se caracterize como urgência e emergência". Daí a necessidade de aprofundarmos nossos conhecimentos sobre os cuidados de enfermagem ao paciente gravemente enfermo. Ainda aponta que o enfermeiro é o profissional da equipe de enfermagem que dispensa os cuidados diretos a pacientes graves com risco de vida, bem como cuidados de maior complexidade técnica. (COREN, 2013).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS

 

NOBREGA, M. M. L.; SILVA, K. L. Fundamentos do Cuidar em Enfermagem. 2ª ed. Belo Horizonte: ABEN, 2009.

 

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM SC. Consolidação da Legislação e Ética Profissional. Série Cadernos de Enfermagem.  2ª ed. Vol 1. Florianópolis: Quorum Comunicação. 2013

 

O Cuidado de Enfermagem